Médico veterinário de animais marinhos: o que faz e como se tornar um?

Atualizado: Abr 3

Autores: Alice Americano, Verônica Takatsuka Manoel, Raphaela A. Duarte Silveira, Thais R. Semprebom e Douglas F. Peiró


Médica veterinária de animais marinhos do Aquário de Ubatuba, Verônica Takatsuka, com pequenas raias sob seus cuidados . Fonte: Aquário de Ubatuba ©.



A Medicina Veterinária habilita o profissional para atuar em diversos campos, inclusive na área marinha. Atualmente, não existe um curso de graduação específico de medicina veterinária de animais marinhos. É preciso cursar Medicina Veterinária e, ao longo da graduação, dedicar-se a esta área participando de cursos, fazendo estágios, trabalhos voluntários e se envolvendo no desenvolvimento de pesquisas, como por exemplo em programas de Iniciação Científica.


Também existe a possibilidade de, após a graduação, fazer uma pós-graduação (especialização, mestrado, doutorado) com um tema voltado para animais marinhos. Dificilmente este assunto é abordado dentro das universidades, pois não faz parte da grade obrigatória de disciplinas. Portanto, é fundamental que o interessado busque conhecimento e experiências extracurriculares.


A participação em eventos científicos da área também é uma ótima forma de se manter atualizado, fazer contatos com os profissionais atuantes e conhecer as possibilidades que a profissão traz. Em eventos como o Congresso de Conservação Marinha, Congresso Latino-americano de Reabilitação de Fauna Marinha e o Congresso da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil é possível conhecer os resultados de trabalhos de importantes instituições e profissionais da área. É uma ótima oportunidade para tirar dúvidas com os veterinários que já estão no mercado de trabalho.



COMO É A ATUAÇÃO DO VETERINÁRIO DE ANIMAIS MARINHOS?


- Pesquisador e docente em Universidades


Experimentando, documentando, publicando e acrescentando importantes descobertas à área, que ainda tem muito a ser estudada, além de ensinar e incentivar alunos, futuros profissionais a se dedicar às belezas desse campo. Grande parte das pesquisas deste âmbito são voltadas para a patologia e necropsia desses animais.

- Projetos de conservação e monitoramento


Junto a projetos de conservação de mamíferos aquáticos, aves e tartarugas marinhas, o veterinário pode atuar na identificação, marcação, coleta de amostras biológicas e monitoramento de populações, adotando medidas estratégicas para o manejo e conservação da espécie e de seu habitat.


- Projetos de resgate, reabilitação e soltura


O resgate de animais está presente na vida do veterinário de marinhos. Fonte: Manatista/Wikipedia (CC BY-SA 3.0).


Logo da R3 Animal, instituição que resgata, reabilita e reintroduz animais silvestres e marinhos Fonte: Twitter/r3animal ©.



Os empreendimentos e as instituições que fazem resgate, reabilitação e soltura da fauna marinha são compostos por uma equipe multidisciplinar. O veterinário pode atuar tanto nas ações de resgate como na recuperação do animal encalhado, reabilitação e reintrodução. Existem diversos projetos no litoral brasileiro que fazem esse trabalho diariamente, atendendo uma diversidade de animais, como pinguins, fragatas, tartarugas e golfinhos.


- Responsável técnico em aquários de visitação públicos e privados


Nesses locais, o veterinário é responsável pela saúde e bem-estar dos animais mantidos sob cuidados humanos. Suas responsabilidades vão desde o registro dos animais que compõem o plantel, acompanhamento clínico diário, práticas de manejo preventivo, realização de medidas terapêuticas e nutrição. Em muitos empreendimentos que recebem estagiários, o veterinário se dedica à orientação desses alunos, em pesquisas científicas da própria instituição e em métodos práticos de aplicação do conhecimento teórico.


- Trabalhar em projetos de educação ambiental sobre o ambiente marinho


Gremar realizando workshops sobre educação ambiental. Fonte: Instagram/Gremar ©.



É importante frisar que os veterinários de animais marinhos se deparam, muitas vezes, com situações em que precisam praticar a educação ambiental sobre o ambiente marinho. Principalmente sobre temas como o lixo e sobrepesca, que são as principais causas de óbitos e encalhes de aves, répteis e mamíferos marinhos.

Se você quer conhecer mais de perto o trabalho de veterinários de animais marinhos, te ajudamos com uma lista de algumas instituições que oferecem estágios para graduandos em veterinária. Outras opções de instituições podem ser encontradas no site do Grupo de Estudos de Animais Selvagens do Brasil - GEAS Brasil.


- IPeC – Instituto de Pesquisa Cananéia (Cananéia – SP);


- Projeto TAMAR – (Bahia, Pernambuco, São Paulo, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Sergipe, Ceará);


- Aquário de Ubatuba, Aquário de Santos e Aquário do Guarujá;


- Instituto Gremar – (Itanhaém/Guarujá – SP);


- R3 Animal (Florianópolis – SC);


- Instituto Australis/Projeto Baleia Franca (Imbituba – SC);


Então, se você realmente tem interesse em se tornar um médico veterinário de animais marinhos, precisa ter em mente que é preciso muita dedicação e não deve ficar preso apenas aos conhecimentos básicos passados em sala de aula. Siga as dicas que demos neste artigo e busque sempre adquirir mais conhecimento e experiência para se tornar um ótimo profissional e ajudar na conservação da vida nos nossos oceanos.



Bibliografia


GEAS BRASIL. Disponível em: <http://geasbrasiloficial.wixsite.com/geasbrasiloficial/servicos>. Acesso em: 05 nov. 2018.



#medicinaveterinária #animaismarinhos #mercadoprofissional #saúdeanimal #BiologiaMarinha

2,950 visualizações

Assine a lista exclusiva e receba novidades!

© 2020 Instituto de Biologia Marinha Bióicos