O lixo nos oceanos

Atualizado: Mar 9

Autores: Andreliza Terciotti, Douglas F. Peiró e Thais R. Semprebom


Ilustração representando a contaminação dos mares. Fonte: Rilsonav/Pixabay (Domínio Público).

Como visto anteriormente no artigo sobre praias arenosas, as praias são o lar de uma infinidade de espécies marinhas. Mas será que essa ‘fonte de vida’ está sendo cuidada como deveria? Quantas vezes, caminhando pela areia, avistamos uma garrafa de vidro ou plástico, tampinhas, canudos, copos descartáveis e tantos lixos diversos…

VOCÊ SABE DE ONDE VEM ESSE LIXO?

O “lixo flutuante”, como é chamado, chega aos mares pela água dos rios e pelo esgoto, por meio do descarte de grandes embarcações… Principalmente pelo descuido do ser humano! O lixo deixado nas praias pelos banhistas também pode ser espalhado pelos oceanos através das correntes marítimas e do vento.

Expedições científicas detectaram que a superfície oceânica contém uma grande quantidade de plástico flutuando. Em uma avaliação inicial, estimaram um total entre 10 mil e 40 mil toneladas. É muito plástico! Devido à radiação solar e outros fatores físicos e químicos, os objetos plásticos são fragmentados em partes menores, que se decompõem muito lentamente, podendo durar centenas de anos no mar.

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DESSE LIXO TODO?

Além da poluição visual dos mares, o lixo causa grande impacto ambiental relacionado à mortalidade de mamíferos, aves, peixes e tartarugas marinhas. Na maioria das vezes, as garrafas PET em decomposição e sacolas plásticas são facilmente confundidas com comida por diversos animais, que acabam comento esse material. Sacolas, lacres de garrafas e pedaços de redes de pesca muitas vezes se enrolam em animais, como focas e filhotes de tartarugas, causando estrangulamento na medida em que crescem e levando à sua morte.

A desova de tartarugas em determinadas praias também pode ser dificultada pela quantidade de lixo flutuante ou mesmo por aquele deixado na areia. Desta forma, a tartaruga encontra muitos obstáculos até chegar a um local seguro para depositar seus ovos.

QUE TAL FAZER ALGO PARA AJUDAR?!

Atualmente, muitas ações são realizadas para conscientizar toda a população sobre a limpeza das praias e ambientes costeiros. Porém, devemos estar sempre atentos ao nosso lixo, mesmo morando longe do mar (já que o lixo das ruas é levado pela chuva para os rios e os rios desembocam no mar), descartando-o de forma correta e praticando a reutilização e reciclagem dos materiais, sempre que possível. Assim, também contribuímos para diminuir as chances desse lixo chegar ao mar!

PARA SABER MAIS:

Bibliografia

BBC BRASIL. Plástico maior parte do lixo no mar. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2009/06/090608_lixounep_ba.shtml>. Acesso em: 28 jan. 2017.

SANTOS, I. R.; FRIEDRICH, A.C. Impactos do lixo marinho e Ação “Praia Local, Lixo Global”. Disponível em: <http://ambientes.ambientebrasil.com.br/agua/artigos_agua_salgada/impactos_do_lixo_marinho_e_acao_%E2%80%9Cpraia_local,_lixo_global%E2%80%9D.html>. Acesso em: 28 jan. 2017.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Lixo no mar. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/gestao-territorial/gerenciamento-costeiro/a-zona-costeira-e-seus-m%C3%BAltiplos-usos/zona-costeira-e-oceanos>. Acesso em: 29 jan. 2017.

#Pteroisvolitans #poluiçãomarinha #poluiçãoplástica #contaminaçãodosoceanos #BiologiaMarinha

247 visualizações

Quero receber por email os artigos novosl!

© 2020 Projeto Biologia Marinha Bióicos