O que é Divulgação Científica?!

Atualizado: Set 21

Autores: Fernanda Cabral Jeronimo, Thais R. Semprebom, Raphaela A. Duarte Silveira e Douglas F. Peiró



Os cientistas estão presentes nas mais diversas áreas e são profissionais imprescindíveis para divulgar a ciência. Fonte: Instituto de Biologia Marinha Bióicos ©.



Já ouviu falar em divulgação científica? Esse termo é utilizado para nomear uma importante ferramenta de compartilhamento da ciência e sensibilização social.


A divulgação científica tem como objetivo aproximar a sociedade da ciência. De forma simples e acessível, os fatos e progressos científicos são traduzidos em uma linguagem cotidiana, de forma a contemplar um público heterogêneo, não necessariamente ligado à área científica.


É uma ferramenta utilizada para fins educativos, por isso deve ser estruturada e muito bem pensada previamente baseada nas seguintes perguntas: Dentro da ciência, o que é relevante para que a sociedade geral saiba? Qual é o público para o qual a divulgação será direcionada? E de qual forma ela será feita? É importante delimitar todos esses aspectos, pois a divulgação científica não é somente dizer de forma simples um conceito científico que pode continuar abstrato para pessoas leigas. Despertar o pertencimento ao assunto abordado é importante para que o conhecimento científico efetivamente auxilie a sua compreensão pelo grande público. Ou seja, além de aproximar, a divulgação científica propõe integrar sociedade e ciência.


Como esse grande público é heterogêneo, as mais diversas formas de divulgação de informação são válidas. A divulgação e disseminação científica pode ser feita por meio de textos, como os artigos publicados nas revistas com proposta de divulgar/difundir a ciência, como a National Geographic, Ciência Hoje, Revista Fapesp, Scientific American Brasil, e a Revista de Biologia Marinha de Divulgação Científica do Instituto Bióicos, ou então por muitos canais de notícias diversas. Folhetos informativos, história em quadrinhos e reportagens são alternativas visuais e lúdicas para transmitir informações científicas.



A Revista de Biologia Marinha de Divulgação Científica do Instituto Bióicos tem como objetivo divulgar as ciências oceânicas em linguagem acessível e gratuita. Fonte: Montagem a partir de Instituto de Biologia Marinha Bióicos ©.



Além disso, a grande e recente expansão das redes sociais possibilitou ainda mais a democratização da ciência ao atingir milhares de pessoas em muito pouco tempo. Ferramentas como vídeos, podcasts e visitas monitoradas em museus também são formas de divulgação científica. Afinal, a linguagem utilizada pode ser modificada de forma a se encaixar nos mais diversos cenários e contemplar diferentes públicos. Entretanto, nem tudo o que vemos em posts nas redes sociais é divulgação científica! De fato, a divulgação científica é uma ferramenta inter e multidisciplinar extremamente importante que deve ser desenvolvida pelos cientistas!



A divulgação científica possui diversos formatos, como vídeos e podcasts! Fontes: Reprodução das páginas do YouTube e do Podcast do Instituto de Biologia Marinha Bióicos.



Mas é importante ter cuidado! Da mesma forma que a informação verídica circula rapidamente, a informação falsa também. Não é raro encontrar especulações e notícias distorcidas sobre algum experimento ou novidade no mundo da ciência. Por isso é extremamente importante verificar a procedência das notícias. A divulgação científica pode ter vários formatos, porém deve ser feita de forma responsável, por cientistas, muitas vezes em parceria com jornalistas. Além disso, é dever do leitor verificar a procedência das informações. Cabe ressaltar aqui que existe a modalidade de Jornalismo Científico, que deve ser respeitada e incentivada. Muitos jornalistas vem fazendo este trabalho de difusão de maneira exemplar.


O cientista é o profissional que extrai o seu conhecimento da ciência, a partir de um método sistemático e reproduzível. Esses profissionais estão presentes nas mais diversas áreas da ciência, como a biologia, química, física, biomedicina, entre outros. Portanto, são pessoas com propriedade para falar e divulgar sobre ciência.


Por mais que a divulgação científica seja narrada por um apresentador e repassada em uma reportagem, sempre deve haver um cientista participando ativamente, amparando toda e qualquer informação. Afinal, qualquer pessoa pode noticiar uma descoberta científica. Já a divulgação científica não só dá a notícia, mas a explica e evita sua má interpretação.



Exemplo da rede de divulgação científica desenvolvida pelo Instituto de Biologia Marinha Bióicos, presente nos mais diversos meios sociais e de comunicação. Fonte: Fernanda Cabral ©, 2020.



DIVULGAÇÃO CIENTíFICA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO SÃO A MESMA COISA!


A divulgação científica e a educação ambiental estão intimamente relacionadas, ainda que sejam conceitos diferentes. A divulgação científica leva a informação ao público de forma compreensível por todos. Já a educação ambiental, que muitas vezes é desenvolvida em espaços de ensino, é responsável por despertar a sensibilização, consciência crítica e mobilização do ser humano perante a conservação ambiental. Dessa forma, serão capazes de problematizar um determinado cenário e, assim, podem reunir as ferramentas necessárias para tomar ações práticas para a sua resolução.



A IMPORTÂNCIA


A divulgação científica é um dos importantes pilares de atuação da educação, da pesquisa e da extensão universitária e é de extrema importância para o empoderamento, pois familiariza e informa o público sobre os fatos científicos mais recentes, possibilitando a participação ativa da sociedade no debate e resolução de problemas. Afinal, somos parte dos problemas ambientais e possuímos potencial para solucioná-los!


Os autores deste artigo são membros do Instituto de Biologia Marinha Bióicos para conservação dos oceanos, que é uma instituição dedicada à divulgação científica e educação das ciências oceânicas.




Bibliografia


FERREIRA, Mariane Grando et al. Análise sobre educação ambiental abordada em artigos de divulgação científica. Revista Brasileira de Divulgação Científica, Itapetininga, v. 5, ed. 4, p. 3-17, 4 jul. 2018. Disponível em:

https://periodicos.itp.ifsp.edu.br/index.php/IC/article/view/1228/938. Acesso em: 5 Ago. 2020


GOMES, Isaltina Maria de Azevedo Mello. Revistas de Divulgação Científica: uma proposta de tipologia. In: GRUPO DE TRABALHO PRÁTICAS INTERACIONAIS E LINGUAGENS NA COMUNICAÇÃO DO XX ENCONTRO DA COMPÓS, 20., 2011, Porto Alegre. Revistas de Divulgação Científica: uma proposta de tipologia. Porto Alegre: Campós, 2011. p. 1-15. Disponível em: http://www.compos.org.br/data/biblioteca_1709.pdf. Acesso em: 22 ago. 2020.


MARANDINO, M. et al. ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, IV., 2003, Bauru. A educação não formal e a divulgação científica: o que pensa quem faz? ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, IV., 2003, Bauru. [S. l.: s. n.]. 13 p. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/iv-enpec/Arquivos/Orais/ORAL009.pdf. Acesso em: 3 Ago. 2020.


MARQUES, R. V., ROCHA, M. B. O uso da divulgação científica como forma de socializar conhecimentos ambientais. ENEDS, X., 2013, Rio de Janeiro. [s. n.], 2013. 11 p. Disponível em: http://www.eneds.net/anais/index.php/edicoes/eneds2013/paper/viewFile/404/330. Acesso em: 3 Ago. 2020.


NACIMENTO, Tatiana Galieta. Leituras de divulgação científica na formação inicial de professores de Ciências. Orientador: Profa. Dra. Suzani Cassiani de Souza. 2008. 376 p. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/91321/252247.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 4 Ago. 2020.


OLIVEIRA, Lérida. Educação científica e educação ambiental: aproximações em um programa de atividades voltado a crianças e adolescentes. Olhares & Trilhas, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 1-15, 29 Mar. 2010. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/olharesetrilhas/article/view/14730/12986. Acesso em: 3 Ago. 2020.


ROCHA, Marcelo Borges et al. Contribuições da divulgação científica na formação ambiental de estudantes da educação básica. Trilhas Pedagógicas, [S. l.], ano 2017, v. 7, n. 7, p. 172-184, Ago. 2017. Disponível em: http://www.fatece.edu.br/arquivos/arquivos%20revistas/trilhas/volume7/11.pdf. Acesso em: 4 Ago. 2020.


Assine a lista exclusiva e receba novidades!

© 2020 Instituto de Biologia Marinha Bióicos